Rede Hospitalar Ebserh

Cuidados paliativos minimizam o sofrimento de pacientes terminais

qua, 19/06/2019 - 16:23

Ações de humanização dão conforto e alívio em uma fase delicada da vida, inclusive para familiares

Os hospitais da Rede Hospitalar Ebserh possuem ações voltadas à humanização e no conforto a pacientes e familiares que enfrentam doenças que ameaçam a vida

Brasília (DF) – Em 2009, o pequeno Willas Oliveira foi submetido a um transplante de fígado e, desde então, passou a lutar por sua vida, passando longos períodos de sua adolescência internado no Hospital Universitário Walter Cantídio, unidade vinculada à Rede Hospitalar Ebserh em Fortaleza (CE). Para melhorar a adesão ao tratamento e dar um momento de alegria ao garoto, jogadores do time de futebol do coração dele, o Ceará Sporting Club, foram até o hospital para visitá-lo e presenteá-lo com camisas oficiais do clube, com direito a festa. O menino lutou bravamente até o fim, quando partiu. E a ação promovida para ele, rendeu alegria e satisfação em um momento complicado de sua vida.

Esse é um exemplo de cuidados paliativos, modalidade de cuidado que não objetiva a cura do paciente, mas o seu conforto, por meio do alívio de sintomas físicos, psíquicos e espirituais. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cuidados paliativos consistem “na assistência promovida por uma equipe multidisciplinar, que objetiva a melhoria da qualidade de vida do paciente e seus familiares, diante de uma doença que ameace a vida, por meio da prevenção e alívio do sofrimento, da identificação precoce, avaliação impecável e tratamento de dor e demais sintomas físicos, sociais, psicológicos e espirituais".  

Os hospitais da Rede Hospitalar Ebserh possuem ações voltadas à humanização e no conforto a pacientes e familiares que enfrentam doenças que ameaçam a vida. Outro exemplo é SHSA, paciente oncológico da Atenção Domiciliar do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE-UFPel). Fora de possibilidade terapêutica, ele realizou o desejo de pescar em uma fazenda próxima. “Ter tentado pescar foi uma maravilha. Mas o mais importante foi ter levado a frente esse projeto, para que mais pessoas possam se sentir como eu me senti naquele momento, livre, solto”, disse agradecido o paciente.

Capacitação

Em menos de um ano, a consultora de beleza Mariene Soares de Souza perdeu os dois filhos para complicações de uma doença chamada epidermólise bolhosa, que fragiliza pele e mucosas. O filho mais novo, Daniel de Souza Rozendo, de 15 anos, ficou quase um mês internado no Hospital Universitário de Brasília (HUB), onde passou seus últimos dias de vida, sob cuidados paliativos. “O Daniel dizia que se sentia em berço de ouro. Ele morreu no lugar certo, no hospital que amava e sempre foi cuidado. Me senti privilegiada por termos recebido tanto cuidado e carinho. Apesar de não querer morrer, ele morreu feliz”, desabafou a mãe.

Essa e outras ações são resultado de equipes capacitadas em simpósios, rodas de conversa, palestras e oficinas. Os eventos realizados na Rede Hospitalar Ebserh preparam os profissionais para cuidar de forma humanizada quem passa por momentos de aflição e tristeza. Até casamentos são realizados. Em Curitiba, a capela do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC-UFPR) foi palco de uma cerimônia organizada em segredo para surpreender Viviane Ribeiro das Dores e realizar seu sonho de se casar na igreja. Ela foi paciente do HC por 12 anos, com uma rotina entre a casa e o hospital, em meio a luta dela contra o câncer. Juntos há 22 anos, Viviane e Ivan Gonçalves da Silva, tiveram direito a uma pequena festa com recepção dos convidados no mesmo andar do leito da noiva, quatro meses antes de sua partida.

A dedicação para aliviar sintomas e trazer alívio aos pacientes tem como resultado a melhora na qualidade de vida. E profissionais treinados fazem toda a diferença. “Uma equipe de saúde capacitada tem como consequência justamente o fortalecimento do paciente e seus familiares”, destaca a psicóloga Ariane Fernandes, do Hospital Universitário Onofre Lopes, em Natal (RN), que, regularmente, promove treinamentos sobre cuidados paliativos.

Sobre a Rede Hospitalar Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Fonte
Coordenadoria de Comunicação Social
Ebserh Sede
cuidados paliativos
ações
humanização
rede hospitalar ebserh
Release