BALANÇO

Rede Ebserh realiza ações de prevenção ao câncer de cabeça e pescoço

qua, 31/07/2019 - 14:51

Diagnóstico precoce e rápido início do tratamento são fundamentais para a cura

Diversas unidades da rede aderiram à campanha e promoveram ações de prevenção e tratamento

Brasília (DF) – O mês de julho é dedicado a ações de conscientização, prevenção e combate ao câncer de cabeça e pescoço – tumores que nascem na região das vias aéreo-digestivas, como amígdalas, boca, bochechas, faringe, gengivas, laringe (onde a voz se forma), língua e seios paranasais. É o Julho Verde, iniciativa da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) para conscientizar a população sobre os sintomas da doença e a importância da detecção precoce.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), são registrados cerca de 43 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço por ano no país. Os principais fatores de risco são o tabaco, o álcool e a infecção por HPV. Além de evitar esses fatores, a higienização da boca também é uma importante forma de prevenção. Lesões na boca, rouquidão recorrente e incômodo para engolir são alguns dos sinais que indicam que é preciso procurar um médico.

O diagnóstico é feito por meio de exame meticuloso de toda a cavidade bucal e, se necessário, endoscopia e videolaringoscopia, a fim de avaliar o tamanho do tumor ou a presença de um segundo tumor primário. Atualmente, medicamentos promissores têm conseguido aumentar as chances de cura dos pacientes, com ação mais eficiente e menos agressiva ao organismo.

Mas um dos principais problemas é o diagnóstico tardio, que ocorre em 60% dos casos, deixando sequelas no paciente. Portanto, o diagnóstico precoce e o rápido início do tratamento são fundamentais para a cura do câncer. Por isso, na Rede Hospitalar Ebserh, diversas unidades hospitalares aderiram à campanha e promoveram ações tanto para o público interno (funcionário, professores e alunos), quanto para o público externo (pacientes e acompanhantes).

Atividades

Em Fortaleza (CE), o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC-UFC/Ebserh) realizou mutirão de atendimentos de triagem a fim de diagnosticar precocemente a doença. Também houve ações de educação em saúde e atividades de conscientização e informação sobre prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação. Em Uberaba (MG), o Hospital de Clínicas (HC-UFTM/Ebserh) realizou palestras ao longo do mês, voltadas para trabalhadores da área administrativa e assistencial.

Em Campo Grande (MS), o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS/Ebserh) recebeu a visita de representantes da Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG), uma organização sem fins lucrativos, que trabalha em prol de portadores de câncer de cabeça e pescoço e seus familiares em todo o Brasil. A visita teve como objetivo conhecer e aproximar as equipes envolvidas no diagnóstico e tratamento de pacientes com câncer na região de cabeça e pescoço do Humap-UFMS. Na ocasião, foi realizada a doação de uma laringe eletrônica para um paciente, equipamento que representa mais uma possibilidade de voltar a se comunicar após a retirada total das pregas vocais.

O Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB/Ebserh) reuniu profissionais, estudantes e pacientes no simpósio “Paciente oncológico: um cuidado multidisciplinar em câncer de cabeça e pescoço”, onde foram discutidos temas como a contribuição da equipe multiprofissional para a integralidade na assistência e os fatores de risco e desafios atuais no controle do tabaco.

Em Campina Grande (PB), o Hospital Universitário Alcides Carneiro (Huac-UFCG/Ebserh), promoveu um mutirão com o objetivo de adiantar as consultas dos pacientes com patologias possivelmente cirúrgicas em cabeça e pescoço, homens e mulheres de meia idade, tabagistas e etilistas. Já em Dourados (MS), o Hospital Universitário (HU-UFGD) manteve o suporte mensal aos pacientes, que se refletem 35 atendimentos ambulatoriais e 20 cirurgias por mês, relacionados a exames clínicos, diagnóstico e tratamento.

Sobre a Rede Hospitalar Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Os hospitais universitários são, por sua natureza educacional, campos de formação de profissionais de saúde. A Rede Hospitalar Ebserh não é responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país, apenas atua de forma complementar ao SUS.

Rede Ebserh realiza ações de prevenção ao câncer de cabeça e pescoço

Diagnóstico precoce e rápido início do tratamento são fundamentais para a cura

Fonte
Coordenadoria de Comunicação Social com informação dos HUFs
Ebserh Sede